quarta-feira, 6 de maio de 2009

DISFUNÇÃO DE INTEGRAÇÃO SENSORIAL - Problema que afeta as crianças

Muitos comportamentos estranhos de crianças, podem ter uma causa. Nem tudo pode ser manha, birra ou simplesmente "coisa de criança"
"Para realizarmos nossas atividades cotidianas, como estudar, escrever, alimentar-se e etc, recebemos inúmeras informações dos nossos sentidos (tato, olfato, visão, audição) que quando são utilizadas pelo nosso cérebro de maneira correta, servem para organizar nosso comportamento e promover aprendizagem.
Quando isso não ocorre da maneira esperada, a criança pode apresentar respostas inadequadas aos estímulos e é o que chamamos de Disfunção de Integração Sensorial (DIS).

A DIS pode estar presente em atrasos do desenvolvimento neuropsicomotor, problemas de atenção e comportamento, distúrbios de aprendizagem, Transtorno de Atenção e Hiperatividade (TDAH), síndromes genéticas, prematuridade, deficiência mental, física ou sensorial, podendo afetar o desempenho escolar e todo o processo de aprendizagem.

Como consequência, a criança ou adolescente poderá apresentar problemas em sua auto-estima, dificuldade de socializar-se, desvios de comportamento, isolamento e retração. Durante o desenvolvimento, observa-se que bebês com baixo tônus muscular; com desenvolvimento lento e qualidade de movimento abaixo do esperado; crianças extremamente irritadas, agressivas ou impulsivas; com limitações motoras, que apresentem problemas com a coordenação motora e escrita; imaturas ou muito emocionais e adolescentes com problemas de comportamento; pouco organizados; com imaturidade física ou emocional; que não realizam atividades em grupo; demonstrem baixa estima ou falta de iniciativa; podem ser beneficiados com a intervenção terapêutica de Integração Sensorial.


Observe seus filhos: Se eles apresentarem alguns dos sinais, que quando acorrerem associados, sugerem uma Disfunção de Integração Sensorial (DIS)
- Aversão a atividades como água, tomar banho, lavar o rosto e lavar as mãos;
- Aversão de realizar atividades de colagem, argila, massinha, tintas, etc;
- Com dificuldades em correr, pular e saltar;
- Com dificuldades em regular seus ciclos de sono;
- Crianças que mordem ou gostam de ser mordidas;
- Com atraso do desenvolvimento sem comprometimento neurológico aparente;
- Aversão a brincadeiras de movimento e não suportam o parquinho;
- Que não suportam ser abraçadas ou contidas e apresentam choro excessivo ao serem movimentadas ou carregadas no colo;
- Que não conseguem manter a atenção sem que estejam se movimentando, não conseguindo permanecer sentadas;
- Com aversão a determinadas texturas de alimentos e seletivas na alimentação;
- Com dificuldade de manipulação de objetos, na coordenação da escrita, no traçado das letras, na junção das sílabas e na coordenação motora global;
- Que parecem não conseguir brincar sozinhas, não exploram o brinquedo e não criam brincadeiras;
- Com dificuldades de aprendizagem, linguagem enfatizada e escrita imatura;
- Que tocam tudo que encontram pela frente, passam a mão pelos corredores, paredes e todas as superfícies quando se locomovem;
- Com dificuldades em determinar a mão dominante ou por vezes parece trocar a dominância de acordo com a localização do objeto a ser manipulado;
- Que invertem sons na fala ou letras na escrita (Ex: ao invés de falar ou escrever "passarinho", falam "asparinho");
- Com auto-estima muito baixa e que se frustram facilmente.

Texto extraído da cartilha da ArteVidade Clínica Multiprofissional."

Sobre a ArteVidade:

Fundada em 1998, a Artevidade conta com profissionais de fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia e terapia ocupacional que utilizam a abordagem de Integração Sensorial para tratar crianças com sinais de disfunção de Integração Sensorial.

O programa de tratamento é elaborado a partir de uma criteriosa avaliação do perfil sensorial e comportamento das crianças com intuito de adequá-lo as suas necessidades individuais e garantir melhores resultados.

Para estimular o processamento sensorial de forma eficaz, a intervenção terapêutica é realizada em um ambiente organizado sensorialmente contendo atividades e estímulos dirigidos que facilitem na aquisição de habilidades motoras e acadêmicas. A criança, com a orientação do terapêuta, aprenderá a brincar de forma eficaz, produzindo a aprendizagem e processamento organizado das informações sensoriais, durante a realização de atividades que envolvem movimento e muitos estímulos sensoriais.

A DIS pode aparecer como fator agravante do comprometimento motor, mental, comportamental ou social em diversas patologias. A Integração Sensorial pode ser adotada como terapia complementar, uma vez que baseia-se em conceitos do neurodesenvolvimento e da neuropsicologia.

A integração sensorial pode ser aplicada nas escolas onde o terapeuta será um facilitador do processo de aprendizagem acadêmica, focando o tratamento na organização do ambiente e na orientação no fornecimento dos estímulos necessários às crianças que apresentam sinais de DIS, complementando o programa educacional.


A Clínia ArteVidade está localizada na Rua França Pinto, 941 - Vila Mariana - São Paulo - SP

Tel: 6915-7511 / 5083-7758 - http://www.artevidade.com.br/

*
*
*
*
Mural:


Curso de fisioterapia aplicada a neurologia pela internet:
Educação a Distância

Curso de fisiologia geral pela internet:
Educação a Distância

Curso de memorização:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer deixar um recado?

Como acertar o penteado no grande dia

Marcos Proença - Cabeleireiro Sejam as noivas tradicionais ou urbanas, a produção no dia mais importante da vida de quem deseja se casar...