terça-feira, 27 de maio de 2008

São Paulo Parou!

Há décadas os homossexuais vêm fazendo o possível para chamar a atenção das autoridades, com relação à defesa dos seus direitos.
Aqui no Brasil, o melhor país do mundo pra se viver, ainda existe muita discriminação com gays, lésbicas, negros, nordestinos, pobres, entre outros. É uma tristeza admitir que a palavra "DIREITO" não exerce o seu poder. Se é um direito, por quê é que temos que reinvidicá-lo?
Assim como os negros, os Gays têm a certeza de que o futuro será melhor, mais evoluído, com pessoas capazes de identificar e respeitar as diversidades.
É pra isso que o Projeto FADA CELESTE existe. Pra colaborar com todas as iniciativas que objetivam um amanhã melhor.
Fiquei muito feliz neste final de semana, porque ví com os meus próprios olhos, que não estamos sozinhos. Mais de 4 milhões de pessoas circularam por São Paulo para apoiar o Movimento GLBT. Jovens, Idosos, Animais, famílias inteiras, se mobilizaram pela causa. Deu pra observar, que os gays, eram a minoria e que foram apoiados, pelos seus simpatizantes, amigos e familiares.
Vale ressaltar, que o Movimento Parada do Orgulho Gay de São Paulo, está se tornando o maior evento mundial, e chegou até aqui, através do trabalho de muitos, que eram considerados idealistas e hoje, com muito sacrifício, ainda conseguem o feito de conscientizar milhares de pessoas, de maneira alegre e pacífica.
Quando você entra na multidão, sente-se em um outro planeta! É como se você estivesse numa festa em um outro país.
Os especialistas dizem que o sorriso faz bem à saúde e que a alegria é contagiante.
De fato, tirando os hipócritas escandalizados, somos capazes de esquecer todos os nossos problemas, enquanto enchemos nossos olhos e corações, de cor e alegria.
Acho que nos sentimos assim, porque as pessoas que ali estão e trabalharam para nos oferecer esta festa, estão sendo honestas com seus sentimentos. Não adianta repudiar um fato originado na criação do homem. Homens e mulheres, homens e homens, mulheres e mulheres, se conhecem, se amam e se relacionam, desde que o mundo é mundo.
Religiosos são os primeiros a criticar o relacionamento homossexual, mas quem assiste e lê os noticiários, sabe que dentro do cenário religioso também existem gays.
Não sabemos onde isto vai parar, porém devemos lembrar que estamos em transição a milhões de anos, nos modificando, aprendendo e talvez a missão do ser humano aqui na Terra, seja a de aprender uns com os outros.

Para ficar por dentro da cobertura do JORNAL DA FADA e assistir o vídeo, clique no link "ENTRAR" ao lado ou vá para jornaldafada.blogspot.com

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Mande seu nome para a LUA!





A NASA abriu inscrições para que interessados participem da próxima expedição que será enviada à Lua. Porém, esta participação é limitada apenas ao nome de cada um dos inscritos, já que a Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO) é uma nave que não voltará mais para a Terra.
Segundo o site Gizmodo, após receber todos os cadastros, as assinaturas serão adicionadas a um chip que será colocado na nave.
Interessados em "entrar" na LRO deverão se registrar até o dia 27 de junho de 2008
neste site (clique para acessar) e poderão imprimir ou baixar seus certificados de participação, com o número de inscrição e data de "alistamento".
A LRO será composta de seis instrumentos que identificarão locais seguros de pouso e recursos naturais lunares, provendo aos pesquisadores materiais importantes de pesquisa, como informação a respeito dos efeitos da radiação lunar sobre seres humanos. Um memorial descritivo do projeto pode ser lido no site da NASA.
A LRO deve partir em direção à Lua no segundo semestre de 2008.
Qual o objetivo disso?
Incluir uma lista de nomes em uma missão espacial é uma forma eficiente, e barata, de aumentar a visibilidade de suas missões de exploração aos olhos do público em geral. E a idéia não é inédita: em 2005 o Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da NASA juntou 625 mil nomes que foram mandados a bordo da espaçonave "Deep Impact", que se chocou contra o cometa 9P/Tempel.
Outras iniciativas parecidas também ocorreram nas missões Stardust (Cometa Wild 2, 1999), Mars Exploration Rover (Marte, 2003), New Horizons (Plutão, 2005), Dawn (Vesta e Ceres, 2006), Phoenix (Marte, 2007) e Selene (Lua, 2007).

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Conheça o Instituto Sou da Paz

Instituto Sou da Paz

O Instituto Sou da Paz surgiu da “Campanha Sou da Paz pelo Desarmamento” iniciada em 1997 e hoje é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), sediada em São Paulo e comprometida com a redução da violência no Brasil.

Fundado em 1999, o Instituto Sou da Paz tem como missão “contribuir para a efetivação no Brasil de políticas públicas de segurança e prevenção da violência que sejam eficazes e pautadas pelos valores da democracia, da justiça social e dos direitos humanos, por meio da mobilização da
sociedade e do Estado e da implementação e difusão de práticas inovadoras nessa área.”.

Para atingir sua missão, o Instituto Sou da Paz trabalha em quatro áreas distintas, porém complementares e integradas entre si: controle de armas, adolescência e juventude, polícia e gestão local de segurança pública. Cada uma destas áreas desenvolve projetos com os públicos e nos locais mais afetados pela violência, além de campanhas e atividades de mobilização e conscientização da opinião pública.

“Controle de Armas”

O Brasil ocupa um dos primeiros lugares no ranking de países com maior número de mortes causadas por armas de fogo. Atualmente, circulam no país milhões de armas, que acabam sendo usadas para resolver conflitos “banais”,
Além disso, existe a ilusão de que uma arma traz proteção para as pessoas. Mas uma série de pesquisas demonstra o contrário: quanto menos armas há em circulação, menos homicídios são cometidos.
Por acreditar que a vida é o maior patrimônio, o Sou da Paz luta pelo controle das armas de fogo desde 1997. Assim, realiza campanhas de conscientização, lutou pela criação e aprovação do Estatuto do Desarmamento e está empenhado na construção de leis mais rígidas para controlar o comércio de armas de fogo entre os países, enfraquecendo o contrabando e as exportações e importações sem limite.

“Polícia”

A Polícia tem um papel fundamental na redução, prevenção e repressão da violência. Por isso, o Sou da Paz trabalha para aprimorar a atuação e a eficiência deste órgão e aproxima-lo da sociedade.
Atualmente, o Instituto Sou da Paz atua procurando identificar e valorizar o bom trabalho policial e aproximar as pessoas deste profissionais, estimulando uma relação regida pelo respeito à lei e pelo profissionalismo, visando uma polícia cada vez mais inteligente e eficiente.
O Instituto Sou da Paz também participa do debate público sobre o aperfeiçoamento deste órgão tão importante.

“Adolescência e Juventude”

Os jovens moradores das periferias sofrem com a exclusão social e com a violência – são os maiores autores e vítimas de homicídios. Ao mesmo tempo, têm um enorme potencial de mobilização e transformação da realidade.
O Instituto Sou da Paz acredita que o caminho para um Brasil socialmente mais justo passa por formar jovens ativos, responsáveis e capazes de desenvolver habilidades como diálogo, negociação e associativismo.
Por isto, esta área do Sou da Paz desenvolve junto aos jovens ações que estimulam a resolução pacífica de conflitos e a ocupação democrática de espaços públicos, tanto na comunidade, como no ambiente escolar.

“Gestão local da segurança pública”

As questões relacionadas à segurança pública foram durante muito tempo consideradas um problema apenas do governo estadual, pois ele é o responsável pela Polícia Civil, pela Polícia Militar, pelo sistema de justiça e pelo sistema penitenciário.
Mas essa visão vem mudando e o Sou da Paz acredita que o governo municipal tem um papel fundamental no combate à violência. A Prefeitura é quem conhece os problemas e conflitos da comunidade e é capaz de soluciona-los quando eles ainda têm proporções reduzidas.
Além disso, a Prefeitura é responsável por muitas ações que podem contribuir para a prevenção da violência: iluminação pública, limpeza de terrenos baldios, projetos sociais, de educação, esporte e cultura e capacitação das guardas.
É por isso que esta área do Instituto Sou da Paz realiza diagnósticos da violência em várias cidades brasileiras, desenvolve planos municipais de prevenção da violência e promoção da convivência e assessora as prefeituras na implementação destes planos.


Conheça mais sobre o Instituto Sou da Paz: www.soudapaz.org



Janaina Baladez
Coordenadora de Voluntários
Instituto Sou da Paz

terça-feira, 13 de maio de 2008

Justiça seja feita!

Fiquei apreensiva hoje de manhã com a possibilidade da justiça libertar o casal que está sendo acusado de matar a pequena Isabella.
Os advogados irão entrar com recursos, mas se a liberdade ocorrer, ficará cada vez mais explícito para a sociedade, o quanto é mole cometer um crime aqui no Brasil.
Jovens estão sendo influenciados a cometerem violência por todos os cantos, por perceberem que as nossas leis não são severas. O acusado que cometeu um crime pela primeira vez, mesmo que ediondo como esse, têm direito a inúmeros recursos.
A sociedade espera que a Justiça seja feita, não somente com estes casos que tomam proporções gigantescas, mas com todos os outros.
É lamentável que o casal em questão, não conte a verdade, visto que, de acordo com os laudos técnicos da perícia, as informações parecem bater perfeitamente.
É insensato da parte deles, afirmar que existiria uma terceira pessoa, pois se a perícia conseguiu provar que quem asfixiou Isabella, tinha as mãos compatíveis com as da madrasta, e as pegadas, compatíveis com as do pai, deveria então haver "duas" outras pessoas com estaturas semelhantes no local, e não apenas "uma".
Sendo assim, o pior cégo é aquele que não quer ver.
É desumano um homem que cometeu um crime, ficar em uma sela de 3X1m? Porquê ninguém aceita ficar com eles nas selas? Enquanto isso, ao invés de enfrentarem gente "do tamanho deles", ainda acabam ficando em selas isoladas!
Quem está preocupado com os inocentes que residem nos barracos que também são deste tamanho? As ruas estão cheias de pessoas que dormem sob as carrocinhas de papelão, no chão e ainda dividem seus espaços com os filhos e os cachorros nas calçadas, não tiveram estudos, a maioria, nunca cometeu nenhum crime e eu não escutei ninguém mencionar, que eles seriam transferidos para algum lugar melhor por questões de segurança, porquê será?

O dinheiro público fica sendo gasto com transporte, segurança e alimentação de criminosos, enquanto, entidades que trabalham pela vida, passam necessidades.

O exemplo é o Centro de Apoio à Criança Carente com Câncer, que ajuda a preservar a vida de crianças do país inteiro, mas nínguém sabe que eles estão precisando de arroz, feijão e óleo, porque esta notícia não dá ibope pra mídia.

Se quiser conhecer, leia a matéria e assista o vídeo no nosso jornal. ELES MERECEM MAIS ATENÇÃO! http://jornaldafada.blogspot.com

terça-feira, 6 de maio de 2008

HOMENAGEM AO DIA DAS MÃES

MAMÃE EM NOSSOS CORAÇÕES.



Na escalada da vida fostes uma guerreira

Dedicando todo o amor, carinho e paixão

Aos seus pupilos queridos à sementeira

Do fraterno hercúleo nascia a remissão



Mãe querida, de genituras belas e sagrada

Gerastes uma prole de filhos auspiciosos

Seu coração irradiava ternura adornada

Do íntimo expandia rutilâncias luminosas.



Vida serena, sofrida às vezes dolorosa,

Eterna rosa de um jardim em profusão

Deixastes os prazeres da vida exitosa

Para educar os frutos íntimos do aguilhão.



Companheira, emérita, ditosa não fenecia,

Do lar era a rainha depuradora dos matizes

Convivia alegre, com hosanica pedagogia,

Acarinhava e com gestos humildes redimia.



Os deslizes da criação de seu clã de rebentos

Tarefa árdua, imaculada, aurida e destemida,

Sentia bater forte o coração nos desalentos,

Na ansiedade ditosa escoava as ações doridas.



O tempo passa o corpo cansa a idade arrefece,

O ímpeto fogoso e jovial de uma mãe generosa.

A indolência a inércia não incrustava messes,

Nos cabelos brancos acoplava atitudes judiciosas.



Da luta, do brado, do cansaço o corpo sentia

O tempo passar e maltratar consumindo energias.

No carinho, na compaixão dos filhos se refugia

As forças começavam a faltar fraquejar ela sentia



Num lindo dia de sol, numa aparente alegria,

Recebeu uma missiva de Deus e seu olhar reluzia,

Despediu-se com carinho e emoção de um norte

Da estagnação biológica levava à heroína a morte.



Mãezinha nós amamos você de amor augusto.

Nunca esqueceremos seremos expeditos ativos,

Sentiremos a falta, sabemos que o céu está aberto.

Portas adornadas para a chegada ao mundo dos justos.



ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA

ACI-ALOMERCE E AOUVIR

COMO DISTRAIR AS CRIANÇAS NA FESTA DE CASAMENTO

Nada como uma lembrancinha capaz de prender a atenção das crianças nos ambientes dos adultos não é? Criar um espaço para os pequenos ...