terça-feira, 17 de agosto de 2010

CARTA AO MEU VELHO AMIGO

UM DIAMANTE LEVOU GUARDADO NO CORAÇÃO
UMA SEMENTE DEIXOU BROTANDO NO MEU
UM SORRISO FICOU NA MINHA RECORDAÇÃO
SUA AMIZADE, UM PRESENTE QUE DEUS ME DEU.

Dizem que quando nascemos escolhemos os nossos pais, o nosso modo de vida, e até como vai ser a nossa morte. Às vezes fico pensando se isso é mesmo verdade, porque se for, alguns amigos que encontramos durante a nossa existência, fazem com que este reencontro seja uma celebração.
Hoje um grande amigo, de mais de vinte anos, partiu e nem esperou pela minha despedida. Deixou um vazio no meu coração, mas de tão amigo que foi, em contrapartida, habitará a minha mente repleta de boas recordações.
Nossos almoços, as palavras cruzadas, os nossos docinhos divididos ao meio, os nossos cafézinhos nos encontros remotos e o melhor de tudo, aquela palavra sempre amiga, e um apoio moral que transformava o impossível em realizável.
Quando o conheci, até me assustei com a sua voz autoritária de descendente de espanhóis. No começo era sério, compenetrado, e aos poucos foi se tornando afetuoso e quase um pai, muito admirado por esta 'filha' postiça. Eu considero a sua passagem pela minha existência terrena, como um presente de Deus, como se ao escrever por linhas tortas, o criador quisesse me mostrar como é um pai exemplar, já que não pude vivenciar essa experiência com o meu.
Eu o admiro pelo seu carinho com os filhos, a responsabilidade pela sua criação e a segurança patriarcal que nunca mediu esforços em proporcionar. A seu modo pelos 81 anos de vida, o senhor desenvolveu esta tarefa com uma dignidade heróica.
Viveu seus altos e baixos, superou os obstáculos sempre de cabeça erguida. Nunca perdeu a vaidade, que era notada por todos através da sua elegância e postura. Foi um homem honesto e de caráter irrefutável. Em troca, Deus deu-lhe uma retirada estratégica, rápida e quase indolor. Sei que estava preparado, porque tinha consigo a sensação de dever cumprido. Também tenho a certeza, que como um pai e amigo zeloso, resolveu seguir na frente para preparar o ambiente para futuramente receber aqueles que ama.
Senhor João Antonio Ribas Martins, espero algum dia, reencontrá-lo para mais um café. Já estou com saudades. Da sua amiga de sempre, Claudia Souza - Fada Celeste.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

32ª FESTA DAS CEREJEIRAS NO PARQUE DO CARMO REÚNE 6 MIL PESSOAS


O dia 01 de agosto não foi um dia comum para os freqüentadores do Parque do Carmo na zona leste de São Paulo. Logo cedo, a bela paisagem foi tomada por uma multidão que veio de todas as partes para contemplar a beleza do Bosque das Cerejeiras.
A Festa das Cerejeiras é realizada uma vez por ano e já está na 32ª Edição. O evento acontece para disseminar a cultura japonesa que contempla as flores que permanecem nos galhos por aproximadamente dez dias, uma vez por ano apenas.

Como no Japão, neste dia os nipônicos e brasileiros admiradores da natureza experimentam a tradição hanami, ato de contemplar as flores e sentir as pétalas sobre o rosto, transmitindo assim, a sensação de paz interior.

O momento ideal para compartilhar com a família e com as pessoas queridas. Até os bichinhos participam. Vale tudo, barraca ao ar livre, vestir-se a caráter ou simplesmente tirar um cochilo sentindo a brisa.
Durante o evento, as pessoas relaxam à sombra das árvores, respiram o aroma fresco que exala das flores e o momento torna-se tão único, que todos parecem querer registrá-lo.
No palco, passaram mais de trinta e seis grupos, apresentando variedades de dança folclórica, shows musicais, taikos (tambores japoneses), karaokê e ginástica rítmica.
A festa das Cerejeiras é promovida pela Federação Sakura e Ypê do Brasil. Pelo evento passaram cerca de seis mil visitantes. Na abertura estavam o Prefeito Gilberto Kassab, juntamente com o Subprefeito de Itaquera Roberto Tamura e o Secretário do Verde e Meio-Ambiente Eduardo Jorge. O ex-governador Geraldo Alckmin, também foi flagrado visitando o Parque.
O prefeito ressaltou que o Bosque das Cerejeiras do Parque do Carmo, só perde em tamanho para o de Washington, nos Estados Unidos e que a nossa meta será plantar 3 mil cerejeiras em todo o parque.
As barracas de comidas típicas trouxeram mandys, yakissoba e tempurá. Também havia churrasquinho, doces e salgados que foram saboreados só pelos que tiveram paciência de agüentar ficar na fila.
A Polícia Ambiental, Civil e Militar estiveram o tempo inteiro alerta e a limpeza do Parque ficou garantida pela civilidade dos visitantes, que fizeram questão de descartar as embalagens de comida nos lugares certos.
Visitar a Festa das Cerejeiras, é sem dúvida um programa energizante, que devolve o brilho nos olhos e nos remete ao sentimento de paz interior e renovação da fé.


COMO DISTRAIR AS CRIANÇAS NA FESTA DE CASAMENTO

Nada como uma lembrancinha capaz de prender a atenção das crianças nos ambientes dos adultos não é? Criar um espaço para os pequenos ...