domingo, 25 de março de 2012

ÚLTIMO DIA DO FÓRUM MUNDIAL DE SUSTENTABILIDADE

DEFESA DAS FLORESTAS E DO SEU POVO E VALOR AGREGADO SOCIOAMBENTAL FORAM PONTO ALTO DAS DISCUSSÕES DO FÓRUM MUNDIAL DE SUSTENTABILIDADE

No encerramento do evento, foi firmado compromisso do LIDE de mobilizar a sociedade por uma legislação que garanta o desenvolvimento sustentável

A ativista social e ambiental, Bianca Jagger, abordou o tema “Desenvolvimento sustentável e direitos humanos” dentro dos debates do 3º Fórum Mundial de Sustentabilidade, em Manaus. Ela lembrou que a Amazônia é um tesouro extraordinário, o lar de várias espécies e já perdemos 754 km2 da floresta amazônica.
Bianca defendeu o investimento em energias sustentáveis. “Dizem que energias renováveis é cara, mas veja quanto está custando construção de Belo Monte”, questionou numa referência a usina no Rio Madeira que, segundo ela, irá negativamente a população local. “Não podemos sacrificar as gerações atuais e futuras em prol do desenvolvimento. Temos que ter governança, pois temos apenas dez anos para atingir o ponto de não retorno”, afirmou.
Em seguida, Virgílio Viana, superintendente geral do FAS – Fundação Amazonas Sustentável, apresentou a palestra “REDD+: uma alternativa para empresas e comunidades”. Ele lembrou que o desafio é parar o desmatamento da Amazônia. “Ninguém desmata porque é burro, mas porque são inteligentes, racionais e porque querem melhorar de vida. A lógica é fazer com que o desenvolvimento econômico seja a favor da floresta e não contra”. Viana apresentou informações sobre o Programa Bolsa Floresta que investe em programas de geração de renda que não seja desmatamento, e nem ilegal.
Já Almir Suruí, Chefe do Povo Indígena Paiter Suruí (Rondônia), falou sobre “A economia verde e os povos da floresta”. Ele lembrou que a Amazônia possui 200 povos indígenas e outros 60 sem contato. “Até agora as políticas públicas e privadas não chegam às comunidades em que deveriam”. Suruí conclamou os empresários para participar da criação de um modelo de desenvolvimento da Amazônia. “Para nós, economia verde é desenvolvimento sustentável com valorização da floresta e do seu povo”, finalizou.
Oskar Metsavaht, estilista e empresário, fundador e presidente da grife Osklen, abordou a “Sustentabilidade e a indústria do desejo”. Ele lembrou que o novo luxo é a essência dos valores nobres que uma sociedade tem, e reconhece, aliado à beleza e à estética. E entre estes valores estão os socioambientais.
“Somos um país com população que precisa melhorar de vida. O Brasil precisa se desenvolver economicamente e tem espaço enorme, aproveitando nossa biodiversidade, para se tornar um país desenvolvido, igualitário na renda e de maneira sustentável”, afirmou. Para Metsavaht, um entrave para isto é que o Brasil não tem um projeto de branding. “Enquanto não tivermos valor agregado, vamos continuar apenas vendedores de commodities e falando apenas de caridade". “Temos que mostrar que é mais interessante comprar produtos sustentáveis do Brasil do que de marcas famosas dos Estados Unidos, de mão de obra barata da China”, completou.

No encerramento, João Doria Jr., presidente do LIDE – Grupo de Líderes Empresarias, leu a Carta do Amazonas. Nela o LIDE firma o compromisso de mobilizar a sociedade brasileira pela aprovação de uma legislação nacional de pagamentos por serviços ambientais, reconhecendo este mecanismo como fundamental para garantir o desenvolvimento sustentável. Também outros dez itens são destacados, entre eles o estabelecimento de metas para a universalização do acesso à energia limpa até o ano de 203 e O uso das respectivas cadeias de valor de grandes corporações para promover o comércio justo e o desenvolvimento sustentável na base da economia. A íntegra pode ser acessada em www.lidebr.com.br

Fórum, promovido pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais e realizado pela XYZ LIVE, reuniu durante três dias cerca de 900 lideranças empresariais, políticas, pesquisadores e organizações socioambientais e tem como tem central “Economia Verde e Desenvolvimento Sustentável”.

Curso online de Turismo e Meio Ambiente

Galeria Deco exibe obras inéditas de Tomie Ohtake e Nobuo Mitsunashi em paralelo a contemporâneos brasileiros

Galeria Deco exibe obras inéditas de Tomie Ohtake e Nobuo Mitsunashi em paralelo a contemporâneos brasileiros


Pinturas inéditas de Tomie Ohtake e instalação do renomado artista japonês Nobuo Mitsunashi são exibidas juntamente a trabalhos de Sandra Cinto, Albano Afonso, Felipe Barbosa, Rosana Ricalde, Futoshi Yoshizawa e Lia Chaia, entre outros.


A Galeria Deco encerra a comemoração dos seus 30 anos com as exposições “Encontros: Tomie Ohtake e Nobuo Mitsunashi” e “Olhares Oblíquos”, que ocorrem simultaneamente entre 28 de março, às 19h, e 29 de abril de 2012. A primeira mostra é composta por série de pinturas inéditas da artista nipo-brasileira Tomie Ohtake e instalação, também inédita no Brasil, do renomado artista japonês Nobuo Mitsunashi. Paralelamente, o segundo andar da galeria é ocupado pela coletiva “Olhares oblíquos”, que reúne obras dos artistas Albano Afonso, Felipe Barbosa, Rosana Ricalde e Sandra Cinto, entre outros, com a intenção de contextualizar a produção contemporânea do Brasil e do Japão.


O trabalho de Mitsunashi é uma obra de redefinição - "um reset", como define o próprio artista. Ele exibe uma instalação site-especific - um caiaque de 5 metros, criado a partir de elementos naturais como chumbo, madeira, argila, papel e fibras orgânicas, que visa novos sentidos diante da atual situação do Japão. Nobuo Mitsunashi já mostrou suas obras na 21a Bienal de São Paulo, em 1991; em uma individual na Pinacoteca do Estado, em 2002; no Instituto Tomie Ohtake, em 2005; e na Galeria Deco, em 2002, 2004 e 2006.

Tomie Ohtake apresenta 4 telas inéditas, criadas entre 2011 e 2012, que apresentam equilíbrio entre sombra e movimentos vivos silenciosos, que afloram-se na sutil e delicada diferenciação cromática da cor azul. São pinturas de natureza abstrata, sóbrias e de grande refinamento plástico-visual.



Olhares Oblíquos


“Olhares Oblíquos”, que ocorre no segundo andar da galeria, é mostra coletiva que apresenta um panorama da arte contemporânea brasileira, incluindo produção de artistas nipo-brasileiros. A mostra tem intuito de traçar paralelos com a atual produção japonesa. Participam obras de Albano Afonso, Adrianne Gallinari, Cris Bierrenbach, Felipe Barbosa, Futoshi Yoshizawa, Kako, Lia Chaia, Mazu, Roberto Okinaka, Rosana Ricalde, Sandra Cinto e Takashi Fukushima.


Galeria Deco 30 Anos



Referência internacional quando o assunto é arte contemporânea japonesa e nipo-brasileira, a Galeria Deco, inaugurada em 17 de dezembro de 1981 por Hideko Suzuki Taguchi e René Sadayuki Taguchi, é conhecida no meio artístico por exibir, quase que exclusivamente, obras de artistas japoneses e nipo-brasileiros.


Com apoio da da Pola Art Fundation - conceituada instituição cultural do Japão, e da JBAC - Japan Brazil Art Center, a galeria realizou entre setembro de 2011 e abril de 2012, uma série de oito exposições, que exibiram um panorama da recente produção japonesa ao lado de artistas brasileiros de destaque nos últimos anos. Nessas exposições foram exibidas obras dos japoneses Koutaro Isobe, Kiji Maru, Futoshi Yoshizawa, Tomoo Nagai, Ryota Unno, Yo onishi, Manabu Hangai; e dos brasileiros Albano Afonso, Claudio Matsuno, Felipe Barbosa, James Kudo, Sandra Cinto, Sara Carone, Sidney Philocrean, Rafael Pagatini, Thais Ueda, entre outros.

Nesses 30 anos, a Galeria Deco realizou mais de 125 exposições, inclusive de renomados artistas, como Yayoi Kusama, Takashi Murakami e Nobuo Mitsunashi.

A Galeria Deco representa os artistas Yayoi Kusama, Nobuo Mitsunashi, Nobuhiko Suzuki, Yasuo Ogawa, Futoshi Yoshizawa, Miyuki Abe, Yasushi Taniguchi, Takafumi Kijima, Ryota Unno, Yo Onishi, Tomoo Nagai, Manabu Hangai, Koutaro Isobe, Sachiko Koshikoku, Kimi Nii e Shizue.

-
Serviço:
Exposição: "Encontros: Tomie Ohtake e Nobuo Mitsunashi"

Abertura: 28 de março, às 19h
Período expositivo: de 29 de março a 29 de abril de 2012


Exposição: “Olhares Oblíquos”
Abertura: 28 de março, às 19h
Período expositivo: de 29 de março a 29 de abril de 2012

Local: Galeria Deco
Rua dos Franceses, 153, Bela Vista. Tel. (11) 3289-7067. Diariamente, das 10h, às 19h.
Entrada gratuita.








Curso online de Arteterapia

Quanto se gasta para fazer uma Despedida de Solteiro(a)?

Em média, mil reais por participante Essa é uma pergunta que muitos noivos(as) fazem. Mas quanto de fato custa fazer uma Despedida de So...