quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

A verdadeira Maysa Monjardim

A verdadeira Maysa, era uma mulher à frente do seu tempo, linda, mimada, criada como uma boneca que começou a ter reações próprias.
As artistas de um modo geral sofrem simplesmente por serem mulheres. Elas tem que se adaptar entre a busca de um ideal e seus instintos maternais e femininos.
Algumas mulheres, cantoras, atrizes, deveriam ter sido feitas pelo criador, apenas para manifestar o amor, mas nunca para sentí-lo.
Deveriam ter o dom divino da arte com uma sensibilidade que não afetasse sua alma. Só assim, não sofreriam as decepções ao descobrir que traições amorosas, "amigos" oportunistas, amores falsos, não são privilégios somente das mulheres "normais". Sentiriam menos a dor ao perceberem que toda a beleza e glamour, não as diferenciam das demais.
A diferença é que as artistas, por serem mais sensíveis e expostas ao domínio público, sofrem pelo excesso de amor e falta de habilidade em administrar a distribuição deste sentimento, entre seu público e todos aqueles que ama profundamente. Afinal, um coração com tanto amor assim, não aguenta a pressão e quando explode, não há como distribuir por igual o tamanho das faíscas.

São Caetano tem sessões de cinema gratuitas do projeto Cine Tela Brasil

A população de São Caetano do Sul que aprecia boas produções nacionais cinematográficas terá a opção de assistir gratuitamente a ótimos filmes brasileiros, em apresentações a serem realizadas sexta-feira, sábado e domingo (23, 24 e 25/1), das 14h30 às 22 horas, no Parque Catarina Scarparo D’Agostini – Rua Ângelo Aparecido Radim, 90, Bairro São José. As atrações serão trazidas para a cidade por meio da segunda sala de cinema itinerante do Cine Tela Brasil, projeto da Buriti Filmes, que conta com o patrocínio da Fundação Telefônica em parceria com a CCR Cultura nas Estradas. A atividade em São Caetano tem o apoio da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura.

A programação do Cine Tela Brasil contará com a exibição de quatro sessões diárias, nos três dias de atividade, sempre a partir das 14h30. Na seqüência de apresentações, os filmes são Garoto Cósmico (infantil); Pequenas Histórias (infantil); Era Uma Vez (classificação 14 anos); e Meu Nome Não É Johnny (classificação 16 anos).

As sessões serão exibidas numa sala com 225 lugares, som stéreo surround, tela 21 metros quadrados , ar-condicionado e projeção cinemascope 35mm. Esse espaço foi lançado em 2008 e já atingiu mais de 20 cidades e um total de 400 mil espectadores.

História – O Cine Tela Brasil tem origem no Cine Mambembe, projeto da Buriti Filme, dos cineastas Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi. No Cine Mambembe, Bodanzky e Bolognesi exibiam curtas-metragens e filmes brasileiros em projetor 16mm e tela montados numa perua Saveiro, em praças publicas e escolas da periferia de São Paulo. Já em 2004, com o apoio das leis de incentivo à cultura e patrocinadores, nasceu o Cine Tela Brasil e, em 2008, o projeto ganhou sua segunda sala itinerante.

Serviço – Informações adicionais sobre as exibições do Cine Sala Brasil em São Caetano podem ser obtidas na Secretaria Municipal de Cultura, pelos telefones pelos telefones 4232-1237 e 4232-1294.


Mural:



Educação a Distância

Assista o Programa Balada da Fada: Platão e os mistérios de Atlântida

CINCO DICAS DE PRESENTES PARA O DIA DAS MÃES

La Varenne celebra Dia das Mães com ação especial Para uma mãe, tudo que o filho faz tem um sabor único e muito especial. Pensando ni...