segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Como tratar ferimentos em crianças

As crianças correm, brincam e se machucam, por isso, é preciso atenção redobrada com a pele para evitar infecções


Brincar e se machucar faz parte da infância, mas basta aparecer um pequeno ferimento na pele da criança para provocar a preocupação dos pais. Eles correm para tomar as primeiras providências e evitar o início de um problema de saúde mais grave, como a infecção, por exemplo. Cuidados básicos e imediatos, como lavar o local com água e sabão, são fundamentais para limpar a ferida. Primeiramente é preciso limpar o local até desaparecer qualquer sinal de sujeira ou corpo estranho, como terra ou grama. Para garantir a boa limpeza do machucado deve-se secar a região higienizada e desinfetar com um agente antisséptico como Neba-Sept.

Depois de limpar e desinfetar a pele, é importante prevenir ou tratar o início de possíveis infecções, com o uso de uma pomada antibiótica como Nebacetin, sempre lembrando que os curativos, por sua vez, são recomendados somente em locais que estão sujeitos ao atrito, como a dobra do cotovelo ou a sola dos pés, por exemplo. Em alguns casos, fechar o ferimento pode tornar o local úmido, facilitando a proliferação de micro-organismos. A recomendação principal é deixar o ferimento aberto para que o local machucado se mantenha seco e a cicatrização aconteça de forma mais rápida.

O carinho e a atenção também são elementos imprescindíveis na hora de cuidar de ferimentos. Além de higienizar bem as mãos, com água e sabão ou álcool gel, é importante manter a calma para conversar com a criança e acalmá-la em caso de choro. A recomendação é trocar o curativo ao menos três vezes por semana, ou toda vez que ele ficar molhado. Durante o processo de cicatrização, casquinhas se formam sobre a pele machucada. Elas servem para proteção da pele e caem espontaneamente. As crianças têm um ótimo mecanismo de cicatrização e, se for bem cuidado e não sofrer exposição excessiva ao sol, o ferimento não deixará nenhuma marca na pele.

Outras dicas de como cuidar dos ferimentos:

O que fazer quando o machucado está sangrando?
· Caso o sangramento seja pequeno, deve-se lavar a região com água limpa e sabão neutro. Depois, comprimir a região com uma gaze ou pano limpo, fazendo uma leve pressão no local por alguns minutos. Na maioria dos casos, o sangramento para após a compressão. Para proteger o machucado pode-se utilizar uma gaze limpa e esparadrapo ao redor da lesão.

O que fazer quando o ferimento tem pus ou secreção amarelada?
· A saída de pus ou de secreção amarelada indica que o ferimento está infeccionado por bactérias. Nesse caso, é preciso manter os cuidados de limpeza e tratar a infecção com uma pomada antibiótica como Nebacetin para matar as bactérias causadoras da infecção.

O que fazer quando a lesão é mais profunda?
Lesões mais profundas e cortes mais extensos devem ser avaliados por um médico para decidir se há necessidade de realizar outros procedimentos, como os pontos, por exemplo. De qualquer forma, a limpeza primária pode ser feita regularmente e, ao notar-se a presença de algum corpo estranho na ferida, deve-se procurar o médico imediatamente.

Sobre Nebacetin®

Nebacetin®, do laboratório farmacêutico Takeda, oferece opções seguras e eficazes para prevenção e tratamento de ferimentos na pele. Neba-Sept® é um antisséptico tópico que combate rapidamente as bactérias, ajudando a desinfetar e tratar feridas cutâneas superficiais de pequena extensão. A pomada Nebacetin®, composta pelas substâncias bacitracina zincica e sulfato de neomicina, que possuem ação antibiótica, é indicada para o tratamento de infecções da pele e/ou de mucosas, causadas por diferentes bactérias. Mais informações sobre a marca e a bula dos produtos estão disponíveis no site www.nycomed.com.br

NEBACETIN® E NEBA-SEPT® SÃO MEDICAMENTOS. SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO. LEIA A BULA. NEBACETIN® Registro MS – 1.0639.0252. NEBA-SEPT® MEDICAMENTO DE NOTIFICAÇÃO SIMPLIFICADA, RDC Nº199/2006. AFE Nº 1.00693.8. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.


Informações sobre a Takeda

Sediada em Osaka, Japão, a Takeda é uma companhia global orientada para pesquisas, com foco principal em produtos farmacêuticos. Na qualidade de maior companhia farmacêutica do Japão e por ser uma das líderes globais da indústria farmacêutica, a Takeda se compromete a trabalhar para melhorar a saúde dos pacientes de todo o mundo por meio de inovação de vanguarda na área médica. Há informações adicionais sobre a Takeda no site corporativo da empresa www.takeda.com

domingo, 29 de janeiro de 2012

Trabalho Escravo, um crime que persiste



NOTA PÚBLICA

Neste dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, 28 de janeiro, ao serem lembrados os oito anos da chacina de Unaí, MG, quando foram assassinados quatro servidores federais que atuavam na fiscalização das condições de trabalho no campo, a Coordenação Nacional da CPT, juntamente com a Coordenação Nacional da Campanha da CPT contra o Trabalho Escravo, vem a público para expressar sua indignação diante da escandalosa demora do processo judicial decorrente deste bárbaro crime.

Com credibilidade já fortemente questionada junto à sociedade brasileira, o Poder Judiciário mantém-se refém de procedimentos que o fazem andar a passos de tartaruga, não oferecendo as respostas ansiosamente esperadas pela sociedade.

O mesmo acontece com o Legislativo. Logo após o crime de Unaí, o Senado se apressou e aprovou em dois turnos a PEC 438/2001, que estabelece o confisco das propriedades nas quais foi constatada a existência do trabalho escravo e sua destinação para a Reforma Agrária. A Câmara Federal também a aprovou, em primeiro turno, no dia 10/08/2004, devendo ir para votação em segundo turno. A partir de então não foi mais posta em votação, apesar dos constantes apelos de movimentos e entidades da sociedade civil e do requerimento de vários deputados de diferentes partidos. Quando a Câmara Federal vai acordar do torpor em que se encontra e votar esta medida, viabilizando, assim, um instrumento altamente dissuasivo contra uma chaga que aflige ainda milhares de trabalhadores? Ou prefere capitular diante das exigências do agronegócio e de sua articulada bancada? Propriedade ou dignidade? Lucro ou vida? Eis o dilema. Vai o econômico mais uma vez se sobrepor aos mais elementares direitos, como é o direito a um trabalho digno e seguro?

Nestes dias, o Ministro do Trabalho, ao lançar o Manual de Combate ao Trabalho em Condições Análogas às de Escravo, afirmou que o Brasil está perto de vencer esta batalha. Realmente passos importantes já foram dados, mas muito sobra por fazer e a resistência é considerável.

Instituída pela Portaria 540/2004 do Ministério do Trabalho e Emprego e reforçada pela Portaria Interministerial 02/2011 - o cadastro dos empregadores que usam do trabalho escravo, conhecido como Lista Suja, está sendo questionado desde sua criação pela Confederação Nacional da Agricultura, CNA, por meio de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade. Caso vença tal ação, cairia por terra um instrumento eficiente na responsabilização dos atores econômicos e financeiros envolvidos ao longo das cadeias produtivas da escravidão moderna. Em fins de novembro passado, o relator do processo no Supremo Tribunal Federal, ministro Carlos Ayres Brito, liberou o processo para julgamento. O STF pode vir a julgar esta ação a qualquer momento.

Está na hora de se pôr um fim a esta exploração vergonhosa. Já dizia Tiago, em sua carta: “Vejam, o salário dos trabalhadores que fizeram a colheita nos campos de vocês, retido por vocês, esse salário clama, e os protestos dos cortadores chegaram aos ouvidos do Senhor dos Exércitos” (Ti 5,4).

Também clama pelo fim desta chaga que envergonha nossa nação o sangue derramado pelos servidores do MTE em Unaí. Este sangue exige dos poderes Legislativo, Judiciário e Executivo que assumam de vez a defesa incondicional dos direitos da pessoa, quebrando as amarras que os subjugam ainda ao bel prazer do poder econômico. Está na hora da cidadania reinar em nosso País.

Goiânia, 27 de janeiro de 2012.

Coordenação Nacional da CPT
Coordenação Nacional da Campanha da CPT contra o Trabalho Escravo

@cptnacional
Curso online de Direitos Fundamentais da Criança e do Adolescente: A Exploração do Trabalho Infantil

Quanto se gasta para fazer uma Despedida de Solteiro(a)?

Em média, mil reais por participante Essa é uma pergunta que muitos noivos(as) fazem. Mas quanto de fato custa fazer uma Despedida de So...