quinta-feira, 29 de julho de 2010

O PEDINTE AMOROSO

Num fim de tarde de 2010, num cruzamento próximo da Assembléia Legislativa em São Paulo, encontrei com este senhor pedindo esmolas.
O que me chamou a atenção foi a cena daquele homem humilde, em sua cadeira de rodas com dois cãezinhos no colo, um sem raça definida e o menorzinho é um pinsher. Eles pareciam bem alimentados, limpos e cuidados.
Os bichinhos mostravam satisfação em estar alí e o homem também sentia-se feliz e confiante com a companhia de seus fiéis escudeiros.
Acho que um dava força e ânimo ao outro. Por isso ele brincava com todo mundo que parava no farol.
Quando pedi a ele para posar para esta foto, ele colocou a mão na boca dos cachorros e disse: Vai! dá um sorriso pra sair bonitinho na foto. 'Que ficou engraçada...'
Este é mais um personagem anônimo de São Paulo. Imagine quantas pessoas por dia, deparam com esta cena no farol, num ponto nobre da cidade, próximo ao Parque do Ibirapuera e Jardins. Gostaria de saber o que existe por trás dessa criatura, qual a sua história, o que o deixou numa cadeira de rodas e qual a fé que o mantém sorridente e amoroso com os animais. Cena contraditória à realidade de muitos dos ricos e classe média da região que possuem de tudo e mesmo assim, não são felizes.

2 comentários:

  1. Boa parte das pessoas que se encontra numa condição de deficiente compreende fisicamente que está a mercê da vida.
    A grande verdade que uma minoria vê é que todos sem excessão estamos.
    A fé que o faz, dentro de sua adversidade, encotrar o humor e o carinho para com o seus cãezinhos talvez seja a sensação de que seu futuro é hoje. Ele não planeja, não espera outra situação, apenas vive como se não soubesse se amanhã vai estar vivo ainda e a vida que tem hoje com seus companheiros, mesmo nos parecendo cruel, é o melhor que possui agora.
    Obviamente ele não deseja estar nesta situação, como nós mesmos não desejamos a nossa situação, ainda que muito melhor que a dele, muitas vezes quando olhamos para frente ou para o nosso umbigo, não enchergando o quão preciosas e importantes são as coisas mais simples que Deus nos dá. Mas quando aprendemos a olhar ao redor, como ele teve que aprender por força das circunstâncias, e enchergar estes pequenos tesouros que temos, como poder mastigar e engolir sozinhos, andar, ver, ouvir, falar, movimentar-se, enfim, o que nos é geralmente corriqueiro e automático, é mais fácil sorrir e vencer os problemas e frustrações fúteis e mesquinhas.
    Estes dois amigos, mesmo não possuindo todos os recursos que nós humanos possuimos para ajudá-lo, lhe dão algo que muito pouca gente teria condições de lhe oferecer: fidelidade, apreço e lealdade, sem desejar nada em troca.
    Poderia escrever um livro a esse respeito, mas uma frase resumiria a obra toda:
    DEUS SABE O QUE FAZ.

    ResponderExcluir
  2. Eles completam-se...e ele ambiciona menos, assim vê-se
    feliz com o pouco q recebe...
    Talvez tenha aprendido com sua limitações...a sabedoria dos
    desvalidos

    ResponderExcluir

Quer deixar um recado?

Fada Celeste Papelaria Criativa, inaugura loja própria na internet

 Estamos com novidades! Além da nossa loja na Elo7 ( https://www.elo7.com.br/fadacelesteproducoes ) e na Shopee ( https://shopee.com.br/shop...